polissemia

Sua milícia                            Amor               Amor

Minha malícia                      Tece                Amortece

Nossa delícia                     Dores              A morte

In diferença                           A                     Através

Somos                                  pá,                   do verso

In cutidos                              tia                    Atravesso

By Rubi (after some noises)

Anúncios

A, À?! Não! Há!!

Há pessoas que na hora de escrever confundem os AS das coisas. Vamos acabar com esse troca-troca?

É simples. O A, solitário e sem acento, é ARTIGO DEFINIDO, ou seja, ele sabe bem a que veio e, portanto, só acompanha substantiv(a)s feminin(a)s. 😉

Exemplos: A pessoa de quem eu falava… A garota por quem me apaixonei… e assim vai.

Já o , não é homem com H, mas tem ação. Lógico! Ele é um verbo com H e, portanto, caracteriza-se como tal.

Exemplo: Há pessoas que falam de mim. Há garotas que se apaixonam por mim… e assim vai.

DICA: Como todo homem com H, o é substituível. Para saber se ali naquele lugar da frase usa-se A ou Há, basta você substituir por EXISTE(M). Se o existem substituir direitinho o Há, então o Há era com H e acento.

Já o À não é assim tão definido e nem com H… A relação com ele é uma relação de dependência. Se o termo que vem antes pede preposição, então ele recebe à, se não, então não, oras! Complicado?? É, isso tem a ver com regência verbo-nominal e uso do acento indicativo de crase. Ai, reconheço, é de fato um outro caso…. Falemos dele depois.

Abração,

Rubiana

P.S. : Aguardem, no próximo post, um pequeno desafio para quem quiser testar os conhecimentos sobre A/Há.