Coração na paralela?

Já reparou que andam juntos os afins? Gostos, hobbies, crenças… costumamos nos aproximar daquelas pessoas com que nos identificamos, das que têm sonhos, projetos, valores parecidos.

Sinto saudade do tempo em que confidenciava percepções com amigas. Eram horas que passavam sem serem percebidas. Eram corações que se uniam expontaneamente.

Talvez esse seja o grande desafio dos casais: permitir que seus corações se reconheçam continuamente, cruzando-se. Quem não abre o coração, desconhece o outro.

Andar na paralela, mesmo estando junto, é andar na solidão…

OS sem-noção

O sem-noção é um cara sossegado
Dorme, ronca, peida, faz qualquer porcaria ao seu lado
Quando você chega cansado,
Ele faz de tudo para ignorar e te forçar a ficar acordado
Quando você, depois de uma semana cheia, consegue dormir um pouco mais
O sem-noção te acorda, afinal ele já está acordado
O sem-noção não percebe muito o outro
É um sujeito ensimesmado
Fica para o jantar, sem ser convidado
Feliz do sem-noção, que não se importa de ser ignorado

Carnaval – Folia

As abelhas e o choro da menina

Tenho uma aluninha de uns 10 anos de idade que vira e mexe chora lágrimas de profundo engajamento por uma causa aparentemente tola e, talvez, insignificante, porém que eu julgo de imensa nobreza.

Algumas abelhas, vira e mexe, perdidinhas coitadas, entram pela janela da nossa sala de aula. Pensa no zumbido que fazem, não elas, mas as 39 crianças que estão sob minha tutela! É aquele alvoroço, por mais cotidiana que seja a visita: é criança se levantando para ver mais de perto, é criança gritando para matar, é criança gritando para viver, é criança tentando se livrar, é criança tentando salvar.

E essa aluninha, forte e sensível, abraçou um ideal: não permitir que ninguém mate as abelhas-visitas.  Escrevo isso na tentativa de minimizar a culpa. A primeira vez que o episódio ocorreu, sob apelações de “Mate-a!”, contei a eles um fato: as abelhas estão ameaçadas de extinção. Nos EUA elas estão abandonando as colméias sem explicação aparente e em SC também… Pobre abelhas confusas…

Desde então, uma flor idealista nasceu no coração da menininha chorona. E eu que hoje mesmo pensei comigo que a geração de idealistas já não existiria mais…

(Des) Ilusões…

Sabe aquelas figuras que permitem mais de uma percepção, porque elas causam ilusão de ótica?

Então, estou muito nessa de achar que a vida é assim, multifacetada. Até ai tudo bem. É uma obviedade tola essa minha. A questão que me intriga no momento é: se podemos ver o que queremos, porque há pessoas que insistem nos mesmos velhos problemas?

 E pior que reafirmam a culpa “É a mãe… É do marido… É do pai que… É do trabalho… É…” E dela, nada? Trágico saber que sempre desfrutrará da realidade que escolheu ver na êfemera figura chamada Vida…