A, À?! Não! Há!!

Há pessoas que na hora de escrever confundem os AS das coisas. Vamos acabar com esse troca-troca?

É simples. O A, solitário e sem acento, é ARTIGO DEFINIDO, ou seja, ele sabe bem a que veio e, portanto, só acompanha substantiv(a)s feminin(a)s. 😉

Exemplos: A pessoa de quem eu falava… A garota por quem me apaixonei… e assim vai.

Já o , não é homem com H, mas tem ação. Lógico! Ele é um verbo com H e, portanto, caracteriza-se como tal.

Exemplo: Há pessoas que falam de mim. Há garotas que se apaixonam por mim… e assim vai.

DICA: Como todo homem com H, o é substituível. Para saber se ali naquele lugar da frase usa-se A ou Há, basta você substituir por EXISTE(M). Se o existem substituir direitinho o Há, então o Há era com H e acento.

Já o À não é assim tão definido e nem com H… A relação com ele é uma relação de dependência. Se o termo que vem antes pede preposição, então ele recebe à, se não, então não, oras! Complicado?? É, isso tem a ver com regência verbo-nominal e uso do acento indicativo de crase. Ai, reconheço, é de fato um outro caso…. Falemos dele depois.

Abração,

Rubiana

P.S. : Aguardem, no próximo post, um pequeno desafio para quem quiser testar os conhecimentos sobre A/Há.

Anúncios